Pesquisa personalizada

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Estudo IX - A GENEALOGIA DA GRAÇA


Podemos claramente ver a graça de Deus na vida das pessoas que Mateus inclui na genealogia de Jesus.
Deus inspirou a Mateus para que pesquisasse a linhagem de Jesus, desde Abraão até José, o “pai” terrestre de Jesus. Mateus inclui algumas pessoas que nós certamente deixaríamos de fora.
O nome Jesus significa “ Jeová é salvação”.
Leia os textos que revelam o propósito da missão de Jesus (Mat.9:12 e 13; Luc.19:10; I Tim.1:15).
Abraão, o Amigo de Deus- Mateus começa sua genealogia, identificando Jesus como “filho de Abraão” (Mat.1:1). Fazendo assim, ele estabelece a identidade de Jesus, o Messias, como herdeiros das promessas feitas a Abraão (Gen.12:1-3; 22:15-18). Essa foi uma providência importante, pois os judeus não apreciavam descendência de “sangue impuro”.
Deus não baseou as promessas na fidelidade de Abraão, mas na Sua própria fidelidade. A Bíblia se refere a Abrão como o “amigo de Deus” (Tia.2:23).
Nos tempos de Jesus, as pessoas davam muita importância à possibilidade de traçar sua árvore genealógica. Em geral, queriam provar que eram descendentes de Abraão. Na teologia judaica da época, essa evidência genealógica tinha muito a ver com a salvação. Pertencer á linhagem de Abraão era considerado suficiente para a salvação porque ele era o pai da nação e através dele viera a promessa e o concerto.
Essa idéia, é claro, não deixava lugar para a graça, o conceito do Servo Sofredor, e a morte e ressurreição do Messias.
Mateus começa sua genealogia ligando Jesus com duas pessoas fundamentais: Davi e Abrão. Assim estabeleceu as credenciais de Jesus. Abraão foi i pai espiritual de Israel e Davi o fundador da dinastia real que “jamais seria destruída”.
Isaque e Jacó revelam a Graça de Deus- A vida de Isaque nos revela, mais uma vez, como uma pessoa pode demonstrar fraqueza, em certos momentos, apesar da bênção de Deus. Deus continuou demonstrando sua graça, ao aceitar Isaque e renovar Seu concerto e promessas (Gen.26:2-5; 26:24 e 25).
Mateus demonstra que a descendência messiânica é mais do que uma relação de parentesco e realeza. É uma linha de graça, um aspecto esquecido pela teologia judaica daquele tempo, mais muito enfatizado por Jesus.
Na genealogia de Jesus, Mateus inclui quatro mulheres. Talvez esperássemos o nome de mulheres importantes como Sara, Rebeca e Raquel, mas Mateus destacou a vida de Tamar, Raabe, Rute e Bate-Seba.
Leia sobre o caráter dessas mulheres:
  • Tamar (Gen.38:6-26)

  • Raabe (Jos.2:1-21; 6:17,22,23 e 25)

  • Rute (Rute 1-4)

  • Bate-Seba (II Sam.11:2-5, 26 e 27)
    A inclusão dessas mulheres na genealogia de Mateus deve ter levantado discussões entre seus leitores judeus. A vida dessas mulheres se constitui num exemplo de desejo de Deus de quebrar o preconceito segundo o qual o Salvador é para os que merecem Sua graça. E a história dessas mulheres demonstra que Deus deseja incluir em Seu reino até os maiores excluídos de nossa sociedade.
    Ancestrais Estranhos- Tamar e Bate-Seba estiveram envolvidas em pecados sexuais iniciados por homens desequilibrados: Judá; (ver Gen.38) ou Davi; (ver II Sam.11). Raabe e Rute não eram judias por nascimento, mas foram consideradas como parte da família de Jesus.
    Tamar tentou cumprir a lei do levirato, que era comum naquela época (casar-se com o cunhado para não perder a propriedade do seu marido, que morrera sem deixar descendência), mas teve que recorrer à sedução sexual para forçar o sogro a dar-lhe o que de direito era seu.
    Raabe era uma prostituta profissional que passou a temer ao Deus de Israel e foi miraculosamente salva por Ele e veio a casar-se com um israelita de linhagem real (Salmon). Rute experimentou o poder do relacionamento com o parente-remidor e em função de sua decisão (Rute 1:16), também veio a fazer parte da linhagem real como a bisavó de Davi.
    Cada uma dessas pessias, por si mesma, é uma ilustração da graça de Deus atuando. A missão do Messias tinha a ver com a salvação, e não se limitava à liberdade política ou individual.
    A experiência de Davi com a Graça- “Davi gerou a Salomão da que fora mulher de Urias”(Mat.1:6). Mateus poderia facilmente ter deixado de relembrar o pecado de Davi com Bate-Seba, mas ele provocou essa menção para nos lembrar da misericórdia de Deus em relação aos pecadores.
    Como Davi tentou esconder seu adultério com Bate-Seba? (II Sam.11:6-17)
    Note como o Salmo 51 mostra a profundidade do arrependimento da Davi depois que o profeta Natã o enfrentou.
    Quando reconhecemos e aceitamos a responsabilidade pelo nosso pecado, Deus imediatamente nos perdoa e nos restaura. Então, experimentamos a alegria do restaurado relacionamento com Deus.
    Pela vida das pessoas que foram incluídas na genealogia de Cristo, fica evidente que Deus olha para o coração e não para as aparências. Podemos ter confiança de que assim como Deus revelou Sua graça a pessoas tão comprometidas com o pecado também derramará Sua graça sobre nós.


    Reproduzido Por: Dc. Alair Alcantara


    Liberdade




  • Um comentário:

    martins111 disse...

    Preparem-se está vindo o dilúvio de fogo. LEIA O LIVRO DO ESPÍRITO SANTO VERDADEIRO.

    LinkWithin

    Related Posts with Thumbnails